ÚLTIMAS NOTÍCIAS E EVENTOS
Confira as últimas novidades e fotos de eventos!


Férias: como transportar suas bagagens de forma correta É possível colocar seus pertences fora do porta-malas, desde que você tenha alguns cuidados
11/12/2017 10:13
Se há um drama comum a qualquer pessoa que use automóveis é o espaço para bagagem. Na maioria das vezes, claro, a falta de espaço. Ou, quando o espaço é suficiente, peso em excesso pode ser um problema.Por isso, é preciso ter cuidado é com a balança. "Ultrapassar o limite de carga máxima do carro faz com que a altura livre do solo seja reduzida, sobrecarregue a suspensão e provoque até danos irreversíveis à estrutura do veículo", alerta Alessandro Rubio, coordenador técnico do Cesvi.

E nem é preciso exagerar na bagagem para chegar a esse ponto, pois muitos modelos têm um índice baixo de capacidade de carga.

A disposição das malas também deve ser criteriosa. Objetos mais pesados devem ficar o mais próximo possível ao eixo traseiro, e bem fixadas caso sejam colocadas dentro da cabine.

Esse ponto, aliás, é polêmico, pois a lei que impede colocar bagagens no habitáculo, em teoria, é exclusiva para ônibus.

Na dúvida, evite colocar objetos sobre o tampão do porta-malas. "Não se recomenda levar bagagens nesse local porque, além de obstruir a visão do motorista, elas podem ser arremessadas em direção aos ocupantes em caso de frenagem ou colisão", afirma Rubio.

A alternativa mais segura é acomodar as bagagens extras em compartimentos próprios sobre o teto ou em carretinhas. Mas isso exige prudência na condução e até na hora de entrar na garagem - afinal, com uma bicicleta no teto, a altura do seu veículo será muito maior.

Para evitar prejuízos, vale uma dica: coloque um lembrete em um lugar visível no painel do carro alertando sobre as dimensões extras de seu veículo.

Carga até o forro:
Pode bagagem sobre o tampão que cobre o porta-malas? A lei que aborda esse tema é confusa, o que pode render uma multa. Na dúvida, evite ao máximo bloquear a visibilidade do retrovisor central.

Sobre o banco traseiro:

Rebater os bancos de trás não só é permitido como é útil para colocar objetos volumosos dentro da cabine. Apenas assegure-se de que toda a bagagem esteja bem fixada.

Na frente, vale!

É possível acomodar objetos também no banco dianteiro. Mas eles não podem obstruir a visão do espelho direito nem ficar sobre o colo ou entre as pernas do motorista, sob pena de multa de R$ 130,16 e 4 pontos na CNH.

Estica até o fim:
Desde 2010, a carga pode ultrapassar o comprimento do carro. Ela deve ser sinalizada (com fitas de cores chamativas e/ou reflexivas) e ter luz e refletor vermelhos, caso viaje à noite.

Mas é preciso fazer contas: o balanço traseiro somado ao excesso da carga só pode medir no máximo 60% do tamanho do entre-eixos do veículo.

Tudo pra cima:
Bagageiros sobre o teto são práticos, mas têm regras rígidas. A principal é que a carga não pode ter mais de 50 cm de altura (medidos a partir do teto do carro) e nem ultrapassar largura ou comprimento do veículo. E fique atento ao peso máximo que ele suporta.
Bikes:
Bicicletas são a única exceção para cargas sobre o veículo: elas podem ultrapassar os 50 cm de altura sobre o teto. Podem ser presas de pé ou deitadas no teto, ou em suportes na traseira - neste caso não devem cobrir a placa.

Se cobrir, é preciso colocar uma placa extra que deve ser lacrada.

Tudo preso:

Um acessório muito útil é uma rede (rígida ou flexível) que isola o compartimento de bagagens do resto da cabine. Isso evita que objetos caiam sobre os passageiros e o motorista em freadas ou curvas mais intensas.

Carretas:
Usar carretas para levar mais bagagem é um recurso mais caro, mas útil quando há muitas malas ou o porta-malas está obstruído - como em veículos de sete lugares completo.

Primeiro é preciso ver se o seu carro pode receber engate - a Honda, por exemplo, não indica esse recurso a nenhum de seus modelos nacionais.

Depois, será necessário colocar um engate de acordo com a lei (fixado ao monobloco e com fiação elétrica).

Picapes:
A lei permite que picapes trafeguem com a tampa da caçamba abaixada ao carregar objetos volumosos. Mas só se a placa traseira e as lanternas não forem obstruídas, e o balanço traseiro total não pode superar 60% da medida de entre-eixos.

Modelos como Renault Oroch, Fiat Toro e Strada oferecem extensores de fábrica como acessórios. Esses equipamentos incluem até espaço para uma segunda placa traseira, que deve ser lacrada também.
Carros que não são afeitos a carregar muito peso

Listamos seis modelos que têm baixa capacidade de carregar peso (esse total INCLUI o motorista e passageiros)

1º Fiat 500 1.4 320 Kg
2º Suzuki Jimny 330 Kg
3º Chevrolet Prisma Joy 375 Kg
4º Renault Kwid 375 Kg
5º Ford Fusion Hybrid 386 Kg
6º Peugeot 308 2.0 AT* 416 Kg
CONFIRA MAIS FOTOS
CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS OFERTAS DO SITE
Nome:
E-mail:
Copyright 2012 - 2018 © Kleber Carros - Todos os direitos reservados. Desenvolvimento:
COMPARE
Máximo de 5 veículos